um ano

que gosto amargo você tem.


não sei te contar quantas Larissas passaram por aqui nesse tempo.

esse é o tipo de aniversário que a gente não precisaria comemorar, né?

mas como deixar passar em branco?


lembro da sensação de ter meu coração rachando ao meio. e hoje ainda sobram algumas cicatrizes desse machucado. todas muito bem fechadas. mas estão ali.


acredito que muitas pessoas nem notam a existência delas, mas nenhuma passa despercebida por mim.


só eu e elas sabemos o que foi preciso pra costurar essa colcha de retalhos.


eu me curei, sabia?

foi, de longe, a aventura mais desafiadora - pra não fala difícil - que eu me meti. me fez olhar tanto pra dentro que já me peguei com dificuldade de olhar pra fora.

que bom que a gente não é mais a gente. que bom que eu te deixei ir. tem dias que sinto que você ainda não me deixou.


me deixa ir?


a gente é tão melhor sem ser a gente. que tal eu e você deixarmos assim?


eu escrevi esse texto quando fez um ano que eu tinha me separado. tenho muitos textos de todo esse processo e imagino que muitas pessoas que passaram por isso tenham experienciado sentimentos parecidos. quem sabe, aos poucos, eu vou soltando alguns deles pra você?

nossa newsletter <3

All rights reserved to Larissa Vaiano Moleti | Website developed by Larissa Vaiano